domingo, 29 de abril de 2018

CRUZEIRO EMPATA POR 0 A 0 NO SUL



O Cruzeiro conquistou o primeiro ponto no Campeonato Brasileiro ao empatar, por 0 a 0, com o Internacional, em porto Alegre. Com equipe reserva, Mano buscou o empate desde o início e conseguiu. Não tentou, em nenhum momento, atacar. Respeitou o dono da casa e, em raros momentos, criou. Danilo Fernandes nem sujou a roupa. Rafael, por outro lado, fez boas intervenções, embora tenha falhado, no primeiro tempo, quando pegou com as mãos um recuo de Bruno Silva.

Aplausos para a torcida colorada, que aplaudiu a saída de Sóbis, quando deixou o campo para a entrada de Rafael Marques. Sóbis é ídolo por lá, onde foi campeão mundial em 2006.

O jogo
O primeiro tempo foi sonolento. Poucas oportunidades. Do Cruzeiro apenas uma tentativa. Do Inter, um pouco mais. Mas nada de mais também. No segundo, Rafael foi o grande destaque da partida, com três boas defesas.

Jogando com um time alternativo, o Cruzeiro entrou em campo nitidamente para buscar o empate. Retardava o jogo, não queria mesmo atacar. Mas tinha uma plausibilidade: o importante é o jogo pela Libertadores. Tanto que todos os 11 que entraram como titulares são, hoje, reservas.

A melhor chance do Cruzeiro foi com Rafael Sóbis, numa cabeçada. No Inter, boas defesas de Rafael, em chutes de Pottker, D'Alessandro e Patrick. Mas nada saiu do placar. A imprensa bem que queria. A narração destacou pelo menos três vezes que Leandro Damião tinha 98 gols marcados pelo Inter e que buscava, contra o Cruzeiro, chegar aos 100. Bom... vai continuar tentando...

Por: João Vitor Viana

A IMPRENSA JÁ FALA EM PIOR INÍCIO DO CRUZEIRO...



Lá vem a imprensa novamente...

Falando em possibilidade de pior início do Cruzeiro...

Listando, na história, jogos e mais jogos.

Mas o Cruzeiro pouco se importa com isso, corneteiros de plantão!

O Cruzeiro se preocupa com o jogo diante do Vasco.

Time que, aliás, conseguiu um adiamento maroto do jogo desse final de semana.

Então se Mano poupar um ou outro atleta ou mesmo o time inteiro, é para ter o time inteiro na semana que vem.

Jogo decisivo pela Libertadores, nosso foco esse ano e onde somos segundo colocados, podendo ser líderes, dependendo da combinação de resultados.

Então, imprensa, menos.]

E modinhas... se perder hoje, não é para ficar criticando e crucificando A ou B.

O jogo que importa é pela Libertadores.

Ao menos, por agora.

Por: Raposo Sensato

FALA AÍ! ENTREVISTA COLETIVA: EDILSON E SASSÁ


CRUZEIRO X LA U - BASTIDORES


sexta-feira, 27 de abril de 2018

BOM DIA, MODINHAS! E AGORA? QUEREM MESMO O MANO FORA?

O futebol é engraçado e, ao mesmo tempo, irrita. Engraçado por ser capaz de nutrir sentimentos, os mais variados, levando o torcedor do céu ao inferno em poucos momentos. Irritante por seus seguidores serem tão imediatistas, capazes de falarem as maiores asneiras por causa de um ou outro resultado, um ou outro desempenho.

E como praxe, aqueles que se escondem atrás de perfis, que não passam de covardes, que parecem torcer contra o próprio time, ao menos ontem, se calaram. Por causa de uma sequência ruim, que a imprensa chegou a tentar implantar uma crise, vários torcedores "pegaram carona". No entanto, ontem viram o time do "retranqueiro" Mano fazer sete. Já tem um debilóide aqui ou ali procurando pêlo em ovo para o fato. O certo é que vencemos, vencemos bem, somos vice-líderes e só dependemos de nós para seguir adiante e bem longe nessa Libertadores. Hoje, dia 27, desejo a você, modinha, torcedor tosco e que não acrescenta nada ao time, um belo bom dia!

Hoje não tem ninguém para pegar para "Cristo". Egídio fez uma partida ótima, com duas assistências; Henrique foi regular no meio e só saiu por estar amarelado; Sóbis entrou e deixou sua marca; Mano modificou bem e deixou o time mais ofensivo quando podia se poupar para os próximos jogos. É, torcedor modinha, hoje é sexta-feira. Beba para ocupar a sua boca com alguma coisa que presta!

Fora Mano? Lógico que não. E com todo o respeito ao Adilson e ao Marcelo Oliveira, eles são bem-vindos ao clube em qualquer posto diretivo. No de treinador, até o final de 2019, no mínimo, a titularidade é de Mano Menezes.

Por: Marcão

quinta-feira, 26 de abril de 2018

A IMPRENSA HOJE NÃO DORME! CRUZEIRO NA VICE-LIDERANÇA! E PINTANDO O SETE!

Pintou o sete! O Maior de Minas mandou sete nas costas da La U e ascendeu à segunda posição na Libertadores, para delírio de sua torcida e para a braveza da imprensa, que parece, a cada dia, torcer contra. Mas Cruzeiro é Cruzeiro. E como a gente é time grande, vencemos por 7-0, com grande atuação e deixando o adversário profundamente abatido. Vitória que ameniza as cobranças de torcedores e que cala a imprensa, louca para ver um vexame do Maior de Minas.

O jogo

Mente diferente? Talvez. Pelo menos foi assim que o Cruzeiro entrou em campo. Nada de dar a bola ao adversário. Decidido, foi para cima, sem medo de "cara feia". E antes mesmo dos 10min, o Cruzeiro mandou a primeira para dentro: de falta, Thiago Neves abriu o marcador, para desespero da imprensa, que num programa dessa dia 26, disse que o jogador estava amaldiçoado depois de perder pênalti na final da Libertadores de 2009. Esse gol foi para você, repórter trouxa! O segundo gol veio com o mesmo "amaldiçoado". Em belo passe, achou Sassá, que tocou sobre Johnny Herrera e encontrou a cabeça de Rafinha: 2 a 0. A La U só ameaçou depois dos 20min, mas numa cabeçada despretenciosa de Pinilla. Aliás, Pinilla tem uma relação horrível com o Mineirão. Em 2014 mandou um pênalti na trave, que acabou desclassificando o Chile diante do Brasil. 

A La U tentou partir para cima. Pela esquerda, tentou alguma coisa, mas sempre parou em Dedé, um gigante em campo já há algumas rodadas. E pensar que quem vaio para a Copa é Rodrigo Caio, aquela porcaria. Enfim... Voltando ao jogo, nas bolas paradas o time tentou algo, mas não ameaçou.Quem fez o terceiro, para desespero dos repórteres atleticanos, foi o Cruzeiro: de pênalti, Sassá mandou o terceiro. Minutos depois Vilches foi expulso. E o primeiro tempo terminou assim: 3-0 e Cruzeiro com um jogador a mais.

O segundo tempo começou melhor ainda. Rapidinho Echeverría acabou expulso. Com dois a menos, a La U acabou levando o quarto. Edilson cruzou e Arrascaeta mandou o quarto. Cruzeiro sobrando em campo. O quinto gol veio com cruzamento de Egídio e chute de Sassá. 5-0 na roda de bobo e com gritos de olé. Imprensa, como deve ter sido duro! Modinhas, como é chato ver o time jogando bem, né? Com o placar garantido, Mano Menezes substituiu Edílson por Romero. O sexto gol veio com Thiago Neves. O camisa 30 aproveitou cruzamento da direita e tocou, de primeira, para o fundo do gol. 6-0! Sim, time do Mano metendo seis! Mas para aqueles que acham que o Cruzeiro não joga nada contra time grande, Sóbis fez o sétimo! Em cruzamento do Egídio, escorou para o fundo das redes.

Por: João Vitor Viana


ENTREVISTAS COLETIVAS: HENRIQUE E THIAGO NEVES


quarta-feira, 25 de abril de 2018

SÓ A VITÓRIA INTERESSA!



Nada de empate, tampouco derrota.

Não é hora de tropeçar mais.

É hora de o time mostrar maturidade.

É hora de o time mostrar vigor.

Não estamos pedindo muito.

Queremos tão somente futebol.

Será que o time só funciona quando a água está no pescoço?

Bom... a água já passou do pescoço e já chegou às narinas.

É vencer ou vencer.

E para não fazer feio, é preciso fazer gol.

Que o Cruzeiro não fique nesse de apenas ficar cruzando bola na área.

Time pragmático, tática previsível, não dá mais.

Hora de mostrar criatividade, produtividade e ofensividade.

Hora de ser CRUZEIRO!

Por: Raposo Sensato

terça-feira, 24 de abril de 2018

PELA SOBREVIVÊNCIA, HORA DE APOSTAR NO TIME E ESTAR JUNTO

Quinta-feira está logo ali e, dessa vez, quinta-feira tem que ter mais. Muito mais por sinal. Afinal, o time vem jogando mal e precisa, acima de tudo, da vitória. Novo tropeço o Cruzeiro fica mal na fita e, dependendo dos demais resultados, ficaria em situação complicadíssima na competição. E como o Cruzeiro jamais foi eliminado na primeira fase da Libertadores, todas as apostas estão abertas. Em cima disso, nosso parceiro, o Sportsbet.io recomenda, inclusive, apostar no Maior de Minas. Para apostar, clique aqui

Salientamos que apostando no Cruzeiro, o retorno é de 2,43 para cada m฿ 1,00 apostado. O empate está pagando 4,83 e a vitória do Universidad de Chile está pagando 9,55. Como somos cruzeirenses, as apostas são 100% no Cruzeiro.

E como quem é cruzeirense de verdade também aposta no clube e, por isso, vai lotar o Mineirão nesta quinta-feira, às 19h15. Mais de 32 mil torcedores estão garantidos no estádio. Queremos 50 mil vozes empurrando o maior de Minas! Só uma vitória nos mantém vivos. E uma vitória por dois gols de diferença nos põe em segundo. Queremos aquele futebol que estamos acostumados e aquele que vem sendo cobrado pelos torcedores de verdade nas redes sociais.

Se você aposta no Cruzeiro nesta quinta-feira, esteja junto ao time. Agora é a hora daquela união que sempre deu certo! Vamos juntos!

Por: João Vitor Viana

domingo, 22 de abril de 2018

VITÓRIA SE FAZ COM BOLA NA REDE, NÃO COM CRUZAMENTOS



Vou me antecipar aos modinhas do Facebook.

Não, não vou pedir a cabeça do Mano.

Sou grato pelos dois títulos sob seu comando.

E sou esperançoso sobre o restante do ano.

O Cruzeiro perdeu, sim, para o Fluminense.

Mais uma vez, com um a mais, não soube se impor e nem por a bola na rede.

Viu, inúmeras vezes, o goleiro Julio Cesar fazer "cera", caindo de propósito no chão.

Mas isso não tira a incompetência de finalização do time, que insiste em ficar levantando bola na área.

Não, não sou contra esse tipo de recurso.

Mas não podemos ficar somente fazendo isso!

Um time técnico tem que fazer tabela, tem que enfiar bola, tem que chutar de longe.

E, principalmente, tem que fazer o goleiro sujar a roupa.

As vezes que Julio Cesar sujou a roupa foram justamente em suas quedas e em uma outra investida que acabou dando certo, mas com erro de finalização.

O Cruzeiro jogou bola na trave, perdeu gol dentro da pequena área e não conseguiu fazer o primeiro ponto no Brasileiro.

Hoje, está na zona de rebaixamento, uma posição que, com o tempo, mudará.

Mas para isso, o time precisa mudar o seu jeito de jogar e, principalmente, saber finalizar.

Diante do Fluminense, não teve aquele "9" para por a bola para dentro.

O Fluminense, com um time bem mais modesto e jovem, teve esse "9".

E quando as coisas tem que dar certo, até de bochecha o cara faz gol.

Mano, vamos sacudir o time.

Quinta-feira tem mais.

E, dessa vez, sem chance de tropeço.

Por: Raposo Sensato

MAIS UMA TENTATIVA DE REABILITAÇÃO

O Cruzeiro terá, hoje, mais uma chance de se reabilitar. Se isso não ocorreu na Libertadores ainda, no Brasileiro é a primeira oportunidade, uma vez que a equipe estreou na competição com derrota para o Grêmio, em casa. Na ocasião foi batido por 1 a 0. Na tarde desse domingo, Mano Menezes e seus comandados esperam ter uma sorte melhor.

A escalação é uma incógnita. Afinal, Mano não esconde de ninguém que a prioridade da semana é vencer o jogo de quinta-feira, no Mineirão, dianta da La U. Uma vitória por dois gols põe os mineiros na vice-liderança da competição continental, o que daria maior tranquilidade para o trabalho e possivelmente esconderia os "haters" nas redes sociais. Os famosos "modinhas" parecem que torcem contra só para ter o que falar e fazer algum jogador de "Cristo".

FLUMINENSE X CRUZEIRO

FLUMINENSE
Júlio César; Renato Chaves, Gum e Ibañez; Gilberto, Jadson, Richard, Sornoza e Ayrton Lucas; Pablo Dyego e Pedro. Técnico: Abel Braga. 

CRUZEIRO
Fábio; Lucas Romero (Ezequiel), Dedé, Leo e Egídio; Henrique (Ariel Cabral) e Lucas Silva; Rafinha, Thiago Neves e Mancuello; Sassá (Rafael Sobis). Técnico: Mano Menezes.

Motivo: 2ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data e horário: 22 de abril de 2018 (domingo), às 16h
Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza (SP/CBF)
Assistentes: Alex Ang Ribeiro (SP/CBF) e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (SP/FIFA)

 Por: João Vitor Viana

quinta-feira, 19 de abril de 2018

NOVO EMPATE: QUANDO IREMOS VENCER?

Mais um empate. Jogando sem um jogador de referência, o Cruzeiro entrou deixando a bola com o adversário. Apostando no erro do time da casa, o Maior de Minas pouco fez na primeira etapa. A Universidad de Chile chegou a ter 66% de posse de bola. Por fim, poucas chances de gol.

O segundo tempo reservou um pouco mais de futebol, que iniciou quase como terminou o primeiro tempo. Com o passar do tempo, as defesas foram ficando mais visíveis. O Cruzeiro mandou duas bolas na trave, com Lucas Silva e Arracaeta. O time da casa, em uma cabeçada, exigiu bela defesa de Fábio.

Mas nada além disso. Terceiro jogo, segundo ponto conquistado. E como a gente lamenta o time não ter vencido o combalido Vasco, no Mineirão. O time carioca levou de quatro do Racing, nesta quinta-feira. E olha que os argentinos ainda perderam dois pênaltis.

Os brasileiros do Grupo 5 ainda não pontuam. O Cruzeiro deixa a lanterna e vai para terceiro. Uma vitória na noite desta quinta daria a vice-liderança ao clube mineiro, que agora precisa vencer, na próxima quinta-feira, a mesma La U, agora no Mineirão. Outro tropeço começa a por em risco a classificação à próxima fase da Libertadores, algo que nunca aconteceu na história celeste.

Fica a pergunta: quando iremos vencer? Como dito, esperamos que na próxima partida. Assim como a La U lotou seu estádio, o Maior de Minas poderá fazer o mesmo jogando em casa. Mas Mano, põe um atacante desde o início!

Por: João Vitor Viana

quarta-feira, 18 de abril de 2018

DE OLHO NA VITÓRIA, CRUZEIRO FAZ RECONHECIMENTO DO GRAMADO E FOCA NO JOGO CONTRA LA U

Ainda indefinido, o Cruzeiro se prepara para buscar a reabilitação na Libertadores. Afinal, em dois jogos somou apenas um ponto, empatando o último jogo, em casa, com o frágil time do Vasco, sem dúvida, o mais fraco do grupo. Em último, somente a vitória interessa. Lembra-se que o Cruzeiro jamais foi eliminado na primeira fase da competição, sendo bicampeão continental.

E para vencer a La U, amanhã, no Estádio Nacional, um posicionamento diferente é exigido pela torcida. Em entrevista, Mano garantiu que isso vai acontecer, como garantiu que o time entraria para ser campeão, quando enfrentou o rival, na final do Mineiro. Mano, hora de falar isso sempre, hein? 

O treinador celeste faz mistério quanto a escalação. No entanto, após o reconhecimento do gramado, que ocorreu nesta quarta-feira, Mano deixou claro que vai explorar as deficiências dos donos da casa e irá exigir o melhor de seus comandados. Chances para David? Chances para a volta de Murilo? Marcelo Hermes no lugar de Egídio? Uma hora antes do jogo, todos saberemos.

Por: João Vitor Viana

sábado, 14 de abril de 2018

CRUZEIRO PERDE, EM JOGO QUE DEVERIA TER JOGADO COMO CRUZEIRO

A gente bem que queria algo a mais. Empolgados com o título mineiro, pensávamos que o Cruzeiro entraria pilhado diante do Grêmio. Mas não. Pareceu se poupar - talvez para o jogo de quarta-feira, contra o Universidad de Chile, pela Libertadores, fora de casa. 

O que pareceu foi uma postura que esperou o Grêmio vir para jogar no contra-ataque. No primeiro tempo, pouco se viu em termos de ataque. Ninguém surpreendeu os goleiros. No segundo, saíram mais para o jogo. O Grêmio tomou a iniciativa da partida e dominou a posse de bola. Com poucos erros de passe, conseguiu envolver o Cruzeiro. Já os donos da casa excederam o limite dos erros individuais e técnicos. Muito ruim na marcação, passe e finalização. E por errar demais, deu espaço, foi envolvido e acabou sendo derrotado. André, após belo cruzamento de Ramiro e desvio no primeiro pau, tocou para as redes de Fábio.

Claras, o Cruzeiro teve duas oportunidades: uma com Thiago Neves, logo após o gol sofrido, e uma com Arrascaeta, já no fim da partida.

Perder para o Grêmio não é nenhum resultado anormal. Anormal é o Cruzeiro não saber se impor. Em Belo Horizonte e em qualquer local, o Cruzeiro tem que fazer valer sua qualidade, sua força. Diante do Grêmio, duas conclusões: a diretoria tem que liberar Rafael Marques para que Mano não insista com ele e Sassá está completamente fora de forma. Sem um atacante que mandasse a bola para as redes, o Cruzeiro acabou passando em branco. O Cruzeiro não jogou como Cruzeiro.

Menções honrosas para Dedé, um gigante mais uma vez.

Por: João Vitor Viana

Você aposta em jogos? Conheça http://ow.ly/Vc3o30ju8CU

Curta -> PÁGINA CRUZEIRO ONLINE

QUEREMOS INÍCIO COM O PÉ DIREITO!



Às 16h dessa sábado, Cruzeiro e Grêmio estreiam no Brasileirão.

Times copeiros, tradicionais, que fizeram ótimas e inúmeras finais.

Um adversário complicado, de respeito.

Mas em nossa casa, toda equipe tem que nos temer.

E hoje não é diferente.

Temos que entrar com tudo, com o que temos de melhor.

Vamos, Cruzeiro!

Por: Raposo Sensato

BORA GARANTIR A GRANA DA CERVA DO FINAL DE SEMANA? JÁ FIZ A MINHA APOSTA!



Seu palpite pode te render dinheiro no Sportsbet.io!

Bônus de 5 mBTC (R$150) para novos usuários!

Faça seu cadastro e comece a apostar: http://ow.ly/Vc3o30ju8CU

sexta-feira, 13 de abril de 2018

FALA AÍ, ARIEL!


COMEÇANDO COM O PÉ DIREITO?



O Cruzeiro deverá estrear no Brasileiro, sábado, 16h, contra o Grêmio, no Mineirão, com o mesmo time que sagrou-se campeão mineiro, domingo passado, diante do rival. Ao menos é essa a tendência, uma vez que o time que treinou nessa quinta-feira mostrou isso.

Mano Menezes, assim, pensa em entrar com o "pé direito". Internamente, comentou com alguns atletas que pretende, ao fim dos jogos antes da Copa, estar entre os quatro primeiros pelo menos. Assim, ganhar os jogos em casa torna-se vital para as pretensões celestes.

Satisfeito com a zaga desde que Dedé esteve em campo, Mano voltará, assim, a apostar na dupla campeã brasileira de 2013. Ao lado de Leo, até hoje foram apenas quatro derrotas. E diante de um índice tão baixo, é melhor apostar naquilo que dá certo. Nas alas, Edilson e Egídio. Edilson, aliás, enfrentará seu ex-time pela primeira vez.

Na proteção da zaga, Cabral e Henrique dão continuidade àquilo que vem sendo feito até aqui, sendo os protetores e responsáveis pela saída de bola qualidade. Robinho, Arrascaeta e Thiago Neves terão a missão de, além de criar para Rafael Sóbis, também finalizar com propriedade.

Assim deverá ir o Cruzeiro para a partida de amanhã. Confia no time assim?

Por: João Vitor Viana

quinta-feira, 12 de abril de 2018

FALA AÍ, EGÍDIO!


FALA AÍ, ROBINHO!


O DISCURSO OFENSIVO SUMIU!



Parece que a imprensa e pseutorcedores ficam apenas torcendo por um tropeço para querer jogar tudo para o ar.

Bastaram duas derrotas para apontarem erros, xingarem, disseminarem o ódio.

Teve "jornalista" chamando Thiago Neves de mediano.

Outro falou que o Cruzeiro não tinha jogado nada nos únicos jogos importantes do ano.

Um comentarista, que só está empregado numa emissora porque é peixe, só fala asneira.

Mas o título, ainda que do "rural", calou essa galerinha do mal.

E que bom que isso acabou.

Vivemos num momento de intolerância, de um futebol chato e de oportunistas baratos.

Quando tudo isso se junta, vemos fulano falar de xonofobia, o outro soltando palavrão pelo Twitter, o repórter sendo passional, o outro disseminando veneno e inflamando a animosidade.

O engraçado é que os mesmos que falam essas asneiras, pregam a paz.

Mas são, no mínimos, hiperbólicos, ao terem essa postura.

Contraditórios.

Mas se calaram.

E que se calem por muito tempo.

Porque queremos muito mais que um título mineiro em 2018.

Temos time para sonhar alto.

Por: Raposo Sensato

terça-feira, 10 de abril de 2018

AINDA REPERCUTINDO O TÍTULO MINEIRO. PARA VOCÊ, DANILO, E DEMAIS CHORÕES!


MIMIMI CACAREJANTE! MENOS, DANILO! RESERVA TEM QUE FICAR CALADO!



Sabem aquela frase de pelada, "quem está de fora não dá palpite"? Pois é. Ela pode ser plenamente aplicada às palavras catastróficas do lateral-esquerdo RESERVA, Danilo, que adora usar redes sociais para escrever palavrões. Compra briga que nem é dele. Aliás, briga criada por seres inescrupulosos.

Hoje em dia o futebol está muito chato. Tudo é motivo para "mimimi". Não pode provocar que é desrespeito; não pode driblar que é desrespeito. Desrespeito é um bando de perna-de-pau ganhar o que ganham e jogar um bolinha de gude! E isso se aplica ao mesmo autor das palavras fúteis.

Aliás, Danilo só apareceu um pouco em time pequeno. Aliás, encontra-se em um atualmente. Único time melhorzinho que jogou foi o Sport. O resto é tudo de Série B, com todo o respeito ao América. Danilo, não compre briga nem atice seus seguidores! Se pregam a paz antes do jogo, para que ficar nessa choradeira depois de SER MASSACRADO na final? Não sabe perder? Vai chorar na cama, que é lugar quente! 

O choro é livre! Até o Ricardo Oliveira, sujeito esclarecido, entrou nessa de xenofobia. Menos, rapaz! 

E quando a Seleção Venezuelana chegar a uma Copa do Mundo, a gente conversa.

É o mesmo que dizer que o Atlético tem bicampeonato.

Não tem!

Já diria o ministro Barroso: "Você (Danilo) é uma pessoa horrível. Mau sentimento, bílis...". Mimimi cacarejante de um reserva medíocre!

Por: Marcão

segunda-feira, 9 de abril de 2018

ENQUANTO O LADO DE LÁ BRIGA EM TREINO, HORA DE FOCAR EM NOVO DESAFIO NO ANO



Fim de papo, taça na mão.

Hora agora é de pensar nos próximos desafios.

E o mais próximo é o Campeonato Brasileiro.

Estreia sábado, contra o Grêmio, no Mineirão.

Encontro de dois campeões.

Jogo difícil, contra um time acertado.

Jogo para entrar em campo focado, como foi na segunda partida contra nosso rival.

Até lá, preparar-se da melhor forma, com o astral elevado e com o foco na vitória.

Nosso rival está lá, tendo briga no treino. 

A crise, pelo visto, chegou lá.

Normal para um time com história pequena e com mania de grandeza.

Mas como isso nada tem a ver conosco, que a briga lá aumente.

Por: Raposo Sensato

domingo, 8 de abril de 2018

BEM ISSO...


POR MUITO POUCO SE OFERECE AO MUNDO...


CRUZEIRO REVERTE VANTAGEM E É CAMPEÃO MINEIRO

Quase 45 mil pessoas presentes no Mineirão e a vibração tomou conta de 90% de Belo Horizonte e 98% de Minas Gerais. Cruzeiro, após quatro anos, volta a ser campeão. O Maior de Minas venceu por 2 a 0 e levou a taça. Quem queria a entrega da taça ao rival, teve que enfiar o rabo entre as pernas. A talça e o título é nosso! Chupa, rival!

O jogo
O Cruzeiro começou a partida pilhado. Querendo diminuir a vantagem do rival logo de início, o Cruzeiro saiu para o "abafa". Tanto que conseguiu abrir o placar ainda cedo. Edilson fez belo cruzamento e Arrascaeta, de cabeça, estufou as redes de Victor. No lance anterior, o goleiro do rival já tinha feito uma defesa difícil. O rival tentou nivelar o jogo a partir daí e o jogo ficou mais igual. Lances mais ríspidos, discussões, cartões. Otero, aos 21min, acabou expulso. No mesmo lance, Edilson levou cartão amarelo, para desespero do comentarista Márcio Rezende, que cego, não sabe analisar um lance nem vendo pelo replay. Comentarista péssimo e tendencioso. Tanto que inverteu dois títulos brasileiros num intervalo de 10 anos. Otero foi cretino e mereceu sair de jogo por ignorância e burrice. Cartão vermelho também deveria ser dado ao senhor Márcio Rezende. Sujeito infeliz. O fato de ter um jogador a mais, por boa parte do primeiro tempo, não foi um diferencial. Com excesso de erros de passe e "ligação direta", o Cruzeiro não chegava com perigo ao gol adversário. Para o segundo tempo, o Cruzeiro precisaria melhorar muito a transição do meio com o ataque. Arrascaeta fez o gol e ficou nisso. Robinho pouco participou e Thiago Neves só apareceu quando fez falta em Cazares. Fim do primeiro tempo com algumas questões para consertar. Mano Menezes, antes dos 45min, já havia decido para o vestiário.

O segundo tempo voltou com o Cruzeiro tão pilhado quanto no início do primeiro tempo. Com Henrique como lateral e Mancuello no meio, o Cruzeiro abdicou do único volante de ofício para ser mais ofensivo e explorar o fato de ter um jogador a mais. Aos oito minutos, Robinho apareceu na partida com belo passe para Thiago Neves, que estufou o gol de Victor. O placar invertia a vantagem do rival e dava o título à Raposa. Thiago Larghi mandou Erik e Blanco para o jogo em busca de diminuir a vantagem e voltar a por a mão na taça. Estranho foi tirar Luan para por um volante e um centroavante para por um velocista. Mas o que temos com isso? Nada! O problema é que após o gol, o Cruzeiro deixou de atacar, deixando o rival tomar a iniciativa do jogo. Tática suicida, pois chamou o adversário para dentro do próprio campo. E o que mais dá raiva é ver tiro de meta sendo batido para zagueiro, o que chama o adversário ainda mais. Depois da vantagem revertida, o futebol deu lugar à burocracia. Com o tempo, o Maior de Minas foi equilibrando as coisas. Rafinha entrou no lugar de Robinho e Ezequiel entrou no lugar de Arrascaeta.

O Maior de Minas controlou a parte final e conseguiu mais uma vitória: expulsão de Patrick. Final de jogo, vitória celeste e título conquistado. 

Por: João Vitor Viana




EU QUERO É RAÇA.... DO TIME TODO!



Eu quero é raça!

Do time todo!

Do Maior de Minas!

Do melhor elenco.

Dos melhores atletas individualmente e coletivamente falando.

Eu quero suor.

De todos, inclusive do treinador.

Não, não é por pressão.

É exigir que aquilo que sabem fazer entre em campo.

Saia do mundo da teoria e entre na prática.

Futebol é um esporte especial.

Nem sempre o melhor vence.

Mas hoje queremos contrariar a "lógica ilógica" desse esporte.

Queremos a taça!

E, para isso, não adianta achar que vai fazer gol quando quiser.

Que apenas levantando bola na área vai conseguir vantagem.

Que sem fazer tabela ou bola enfiada nas costas do lateral ou do zagueiro se ganha o jogo.

Futebol é coletivo e não pode ser pragmático.

Tem que ser jogado com o coração na ponta da chuteira.

Com inteligência e raça.

Ainda mais numa final.

Mais de 50 mil pessoas estarão no estádio para empurrar esse time.

A torcida, durante todo o ano, vem dando show.

E o mínimo que ela espera é que o time retribua toda a confiança que ela tem.

Por isso, jogadores, entrem em campo e mostrem seu valor.

A torcida estará ao lado durante os 90 minutos.

E, no final, juntos, queremos levantar mais um troféu.

Vamos juntos!

Por: Raposo Sensato

FALA AÍ, DAVID!


FALA AÍ, LEO!


sábado, 7 de abril de 2018

FALA AÍ, MANO!


DUAS APOSTAS: ATÉ ONDE BREY E KAYSER PODEM AJUDAR?

Dois jogadores do Tupi vão acertar com o Cruzeiro. Patrick Brey, jovem de 20 anos e Renato Kayser, atacante, já fazem testes na Toca da Raposa e serão anunciados em breve. E detalhe: assinam por cinco anos com o Maior de Minas.

Brey chega para disputar posição com Egídio e Marcelo Hermes. Enquanto o primeiro veio recomendado por dois ótimos anos (2013 e 2014), o segundo veio indicado pelas boas passagens por Grêmio e Benfica. Brey, no entanto, tentará superá-los, a fim de deixar de ser uma aposta e dar um passo grande na carreira.

Tarefa difícil também terá Renato Kayser. A concorrência no ataque é feroz. Apesar de Fred ter se machucado gravemente e Raniel enfrentar incômodos de forma rotineira, o atacante terá como concorrentes Rafael Sóbis e Sassá, este, voltando de uma parada de seis meses e ainda sem ritmo. Kayser pertence ao Vasco. Acertando com o Cruzeiro, o Vasco terá ainda uma participação nos direitos do atleta em futura venda. Já Brey chega livre.

Opções
Os jogadores poderão ser emprestado a fim de chamarem a atenção de outros clubes ainda esse ano. Seria uma alternativa de caixa. No entanto, o técnico Mano Menezes vai avaliar o aproveitamento dos dois. Uma boa primeira empatia pode mudar os planos. De duas uma: ou ajudam financeiramente ou ajudam tecnicamente e, posteriormente, uma venda ainda melhor.

Por: João Vitor Viana






FALA AÍ, EZEQUIEL!


quinta-feira, 5 de abril de 2018

DEU NA TV: SELEÇÃO SPORTV


PÓS-JOGO: MANO MENEZES


TORCIDA COMPARECE. O FUTEBOL NÃO.


Quase 40 mil pessoas estiveram no Mineirão, nesta quarta-feira, para empurrar o time para cima do Vasco. No entanto, uma apatia tomou conta do time, que entrou em campo com uma formação diferente do habitual e com um futebol aquém do esperado. Se por um lado o torcedor saiu de casa, pagou ingresso e foi ao estádio, o futebol do time da casa não compareceu.

Os mesmos erros cometidos diante do rival, domingo passado, se repetiram. Um time pouco criativo, de jogadas pragmáticas, previsíveis. Além disso, excesso de bolas alçadas na área adversária. É de se lembrar que o time entrou em campo com um esquema 4-6-0, ou seja, sem um jogador efetivamente de área. Dessa forma, a bola era alçada para um centroavante imaginário e, obviamente, não poderia dar em muita coisa.

Em lapsos ofensivos, o Cruzeiro não conseguiu transformar uma jogada sequer em gol e o empate por 0 a 0 resultou em vaias da arquibancada. O técnico Mano Menezes tentou achar explicações ao fim do jogo. No entanto, uma escalação equivocada, alterações deficientes e um ímpeto retraído só podem ser justificados pela incompetência tática e técnica. Segundo jogo na Libertadores e apenas um ponto conquistado. É bom o Cruzeiro mudar essa forma de jogar, de achar que pode ganhar o jogo a qualquer momento e começar a jogar futebol. A torcida está descontente com o atual momento e com toda a razão.

A torcida, antes do jogo, na esplanada do Mineirão



Por: João Vitor Viana

terça-feira, 3 de abril de 2018

DEPENDE DE NÓS CALARMOS OS OPORTUNISTAS!

O que dizer das análises dos "jornalistas" um dia após uma derrota do Cruzeiro?

Tem uns que disseram que o time entrou com "soberba, achando que iria ganhar a qualquer tempo".

No papo reto, entrou "de salto alto".

Um falastrão que acompanha o apresentador afirmou, categoricamente, que uma análise feita de forma geral "estava errado, segundo opinião dele".

Deve ser um desses parasitas que vai no caminho contrário de toda uma escola de samba e fala que ele está indo certo enquanto todos estão no caminho errado.

Opiniões desconexas, ridículas e infelizes, que mais cheiram ao oportunismo barato de uma imprensa que veste a camisa.

E o estranho é ver que boa parte da torcida caminha na mesma linha.

Buscam culpados, querem a cabeça de fulano e cicrano.

Querem até a cabeça do treinador!

Há uma semana o time era o "atropelador".

E uma derrota faz tudo isso mudar?

Não se deixem levar pela opinião tendenciosa da imprensa.

De uma rádio que veste a camisa.

De transmissões de TV feitas por narrador e comentaristas atleticanos.

Sejam torcedores! Empurrem o time no domingo!

Vamos virar!

Vamos entrar com sangue nos olhos, empurrando o rival para o gol deles.

Não queremos que eles respirem.

Mas isso vai depender de nós.

Da torcida que tem que estar presente, fazer pressão, levar o time e sermos, juntos, campeões.

Queremos calar os torcedores do lado de lá.

Queremos calar os jogadores dementes do lado de lá que pregam a paz, mas ao final do jogo, querem briga.

Queremos que essa imprensa lixo enfie o rabo entre as pernas e chore na cama.

Mas isso depende de nós.

Quarta é dia de fazer o Vasco pagar os pecados da nossa primeira derrota no ano.

Domingo é dia de lotar a Toca da Raposa III e gritar "É campeão".

Doendo na alma da imprensa, doendo na alma daqueles bostas que torcem contra o próprio time.

Aqui é Cruzeiro!

Por: Raposo Sensato e Marcão

domingo, 1 de abril de 2018

PRIMEIRO DESAFIO, PRIMEIRA DERROTA. MAS AINDA DÁ



Longe de ser aquilo que queríamos. Afinal, assim com no primeiro turno, acreditávamos em nova vitória. No entanto, veio uma derrota por 3 a 1, muito por falhas individuais e por um primeiro tempo pífio. Com uma zaga insegura e um apoio deficiente pelo lado esquerdo, o Cruzeiro teve um verdadeiro apagão por 10 minutos. E nesse tempo, levou três gols.

O início do jogo foi até mais favorável a nós. No entanto, até a parada técnica o jogo já estava um pouco equilibrado, mas com mais chances para o Cruzeiro. Após a parada, o Cruzeiro parece ter ficado bebendo água e viu o rival construir jogadas. E pelo alto, levou três gols. Impressionante as falhas nos três gols. O primeiro, que veio de uma falta inexistente, saiu nas costas de Murilo. O segundo, uma combinação de pataquada. No terceiro, uma falha de Egídio. A zaga com Leo e Murilo não funcionou, a proteção da zaga também foi ruim e o ataque inoperante.

Na segunda etapa, o time voltou melhor, já que tinha que propor o jogo e, ao menos, diminuir a desvantagem. Conseguiu, com Arrascaeta. Podia ter feito outro, com Sassá, mas o atacante perdeu o equilíbrio na hora de finalizar.

O que tiramos desse jogo?
Não está perdido. No entanto, não podemos voltar com a postura que entramos em campo e, principalmente, a postura pós-parada técnica. Jogamos melhor no segundo tempo, mas ainda falhando muito. Fica a sugestão de algumas mudanças. Sem querer buscar culpados, não podemos deixar Dedé no banco. Tomar três gols em bolas aéreas, como foi diante do Racing, é inadmissível. E seria bom Mano avaliar também a proteção da zaga. Romero no meio talvez seja mais útil, com Edilson na lateral. Marcelo Hermes também não seria ruim. Egídio fez sua pior partida com a camisa do Cruzeiro nesse domingo.

Ainda dá!
O Cruzeiro, para ser campeão, precisa vencer por dois gols de diferença. Se a diferença fosse de três, seria bem preocupante, mas ainda assim, como torcedor, acreditaríamos. Mas fazer dois gols de diferença a gente pode. Temos qualidade. Mas os jogadores têm que entrar pilhados. Certamente mais de 50 mil pessoas estarão no Mineirão no domingo. É hora de empurrar esse time. 

Que o Vasco pague o pato!
Antes da final, o Cruzeiro terá um importante jogo. Dia 4, o Cruzeiro pega Vasco, no Mineirão. Vasco que, aliás, bateu o Botafogo nesse domingo. É importante o Cruzeiro vencer para ir mais motivado para a final de domingo. São dois jogos que temos que vencer. O segundo, por dois gols de diferença. Vamos, Cruzeiro!

Por: João Vitor Viana