terça-feira, 3 de maio de 2016

CRUZEIRO LATINO

POR: JOÃO VITOR VIANA

O Cruzeiro instituiu o portunhol em 2016 na Toca da Raposa II. Não bastasse cinco estrangeiros (Gino é brasileiro, embora criado no Uruguai), o próximo treinador do time também fala espanhol.

O nome de Reinaldo Rueda, do Atlético Nacional, ganha força na Toca II e deve ser anunciado tão logo o seu clube termine de disputar a competição. Como melhor time da primeira fase da Libertadores, o Nacional é qualificado para ir bem adiante na competição, o que faz com que o Cruzeiro espere por ele. Diante de tamanha dificuldade de arranjar um técnico de nível, a cúpula celeste decidiu que pode esperar e deixar Delamore à frente do time, como espécie de técnico "tampão". Mutos pregam um "Cruzeiro Latino". Será?

Segundo informações de dentro da Toca da Raposa, o clube procurou Abel, Jorginho e Marcelo Oliveira. Ouviu um "que pena" de Abel, e dois "não" dos outros dois. Jorginho, pelo projeto no Vasco e Marcelo por um possível convite de uma equipe do exterior. Diante disso, o Cruzeiro passou a estudar o nome de Rueda com mais "carinho". 

O projeto proposto ao próximo treinador é bem ousado: contrato até final de 2017 e subsídio para montar uma equipe campeã. Contudo, o técnico também tem que aproveitar ao máximo os atletas da base, dando um padrão à equipe e deixando-a competitiva. 

Rueda já declarou publicamente que deseja trabalhar no Brasil e elogiou bastante o Cruzeiro. Contudo, afirmou que qualquer decisão que tome (sair, por exemplo), depende do final da disputa da Libertadores. Se o Nacional for até a final e o Cruzeiro decidir esperar por Rueda, o Cruzeiro poderá ficar sem treinador por até dois meses, o que complicaria, e muito, o planejamento, este já remendado, de 2016.

segunda-feira, 2 de maio de 2016

QUANDO SERÁ A VEZ DOS MENINOS?

POR: MARCÃO ANTI-FRANGA

Quando o bicho ia pegar, nosso ex-técnico, Deivid, afirmou, categoricamente, que não ia escalar o jovem Kevin, por ele ser ainda muito novo. Preferiu improvisar. Agora, para o prosseguimento do ano, o Cruzeiro não tem sequer um lateral-esquerdo de ofício. Vai improvisar de novo? Há quem confirme que Sanchez Miño volta ao posto, mesmo que improvisado, até a chegada de um especialista - pelo que comentam, Maxwell pode retornar ao Cruzeiro 16 anos depois de sair, quando ainda jogava na base. Até lá teremos o argentino e possivelmente, como alternativa, Victor Luiz, o Vitinho, bom atleta da base.

Se precisarmos do menino, veremos, ou melhor, ouviremos do técnico, interino ou não, que ele não será usado por ser jovem? Quando os atuais talentos do Cruzeiro serão usados? Quando tiverem 25, 30 anos?

Não estou falando que Victor Luiz deva ser titular, embora defenda, com veemência, a utilização cada vez maior de atletas da base no time profissional. Mas que se tenha uma coerência e parem de ter medo em por o jogador. Atleta bom vai jogar na pressão ou no jogo "mela cueca". Atleta quer entrar somente no "bem bom"? Ah, para com isso!

Na base do Cruzeiro há diversos talentos, incluindo os dois laterais (Kevin e Vitor Luis). Posso citar o zagueiro Murilo, os meias Tom e Ruan e os atacantes Ricky Sena e Santiago. Fora o goleiro Lucão e o zagueiro Fabrício, já integrados ao profissional.

Sou daqueles que frisa que a gente deve contratar o que não conseguimos produzir. Mas essa tática tem que ser feita durante o Campeonato Mineiro, para que o jogador já se desenvolva dentro de um planejamento. Ao menos é o ideal. Mas, como isso já não é mais o caso, se tiver que buscar e mandar o atleta para a guerra, que mande. O "bom soldado" vai saber lidar com a pressão.

ENQUANTO ISSO...

- As franguinhas tomaram de 2 a 1 para o Coelho e agora não tem mais vantagem. Que tome segunda bordoada no jogo de volta.

- Continuamos sem técnico. Cada vez mais vemos uma diretoria sem respaldo diante de profissionais e cada vez mais sem planejamento. Cadê aquele presidente presente? Cadê diretores audaciosos? Antigamente a gente ia no clube e tirava jogador e técnico. Hoje a gente espera ligarem para se oferecerem.


domingo, 1 de maio de 2016

E AGORA, JOSÉ (GILVAN)?

POR: RAPOSO SENSATO

E agora, José?

O técnico do Vasco recusou.

O técnico do Botafogo recusou.

E agora, José?

Vamos de Marcelo?

Vamos de Rueda?

O que a torcida pode esperar?

E agora, José?

Precisamos de um planejamento.

Precisamos de um comandante.

Precisamos de reforços.

E agora, José?

Diretoria não se pronuncia.

Diretoria diz agir nos bastidores.

Mas ainda não temos um lateral-esquerdo sequer.

Não se fala em camisa "9".

E agora, e agora, José?

Ou deveria adaptar esta adaptação a "E agora, Gilvan?".

sexta-feira, 29 de abril de 2016

CRUZEIRO VIRA REMENDO DE PLANEJAMENTO FRACASSADO. E AGORA?

POR: JOÃO VITOR VIANA

O Cruzeiro acreditou muito em si e achou que fazendo pouco, chegaria longe. Apostou no "bom e barato" e o tiro saiu pela culatra. Apostou em técnico inexperiente, em jogadores desconhecidos, de razoável técnica, mas nenhum decisivo. Não hoje. Romero, uma aposta para o futuro e já de bom presente; Rafael Silva, bom definidor. Mas só. Pisano não disse a que veio; Miño alterna bons e maus momentos; Gino é eterno reserva; etc. e etc. Agora chegaram os bons Lucas e Robinho, mas que não são os jogadores que a torcida ainda espera.

Se perguntarem que tipo de jogador que o Cruzeiro precisa à torcida, os dirigentes vão ouvir: tragam jogadores decisivos e de currículo! Jogadores com Copa do Brasil, Libertadores, Champions League, Mundial. Jogadores rodados e vencedores. Líderes! Disso que o Cruzeiro precisa. Hoje o elenco é bom, mas cheio de jogador bonzinho. Não tem aquele cara que fala no vestiário: "manda para mim que eu resolvo".

Falta um camisa 9, falta um lateral-esquerdo. Faltam atletas de grupo, como Tinga e Ceará. Quem não sabe, esses dois seguraram verdadeiros rojões dentro de um grupo vitorioso de 2013 e 2014. Sem eles, os títulos até poderiam vir, mas seria muito mais complicado. Foram pilares de junção do elenco e de diminuição de vaidades.

As apostas feitas em dezembro vieram por terra. O Cruzeiro, hoje, é remendo daquilo que planejou mal e porcamente. Tem que se virar para não fazer apenas representação no Brasileiro, como no ano passado. Depois de dois títulos, tivemos que ver o Cruzeiro ameaçado de rebaixamento, com apresentações ridículas, abaixo da crítica. Melhorou no fim, com um treinador de verdade, que infelizmente saiu, rendendo-se ao dinheiro chinês. E com a saída de Mano, parece que toda a qualidade foi junta. Não teve um jogo esse ano que a gente pudesse dizer: "agora vai". Não teve sequer uma única apresentação de "encher os olhos". Deivid, em cima de seu pedestal, falava de números, como se vencer times de quinta categoria valesse algo. Campeonato Mineiro não passa de uma séries de amistosos. E nem isso a gente deu conta de vencer!

Que a diretoria remende o time, que não tem elenco ruim, mas que precisa de jogadores "maus", decisivos, cobradores, irresponsáveis. Chega de atleta devoto, de menino bonzinho. Hora de trazer quem faz a diferença, que vá para cima, que faça aquele gol de carrinho, impedido, aos 50 do segundo tempo, tire a camisa, grite, esbraveje com a torcida e ganhe o campeonato. Ainda dá tempo de remendar o planejamento fracassado de dezembro. Basta saber trabalhar e parar de insistir em táticas de contratações falidas.

quinta-feira, 28 de abril de 2016

CONTRATAÇÃO DE ROBINHO TEM A VER COM A VOLTA DE MARCELO OLIVEIRA? NÃO CREIO.

POR: MARCÃO ANTI-FRANGA

Estaria Marcelo Oliveira voltando ao Cruzeiro? É o que alguns jornalistas esportivos estão especulando. Ao menos, é o que passou a ser especulado nos arredores da Toca da Raposa. Os jornalistas estão tentando juntar o quebra-cabeça que a diretoria do Cruzeiro montou. Quem vem para treinar o time? Jorginho? Ricardo Gomes? Ambos estão na final do Carioca. Estaria o Cruzeiro disposto a esperar e perder dias de planejamento, como dito AQUI, ontem?

Pode ser que o critério para a contratação do novo treinador mude. Fontes ligadas a diretores do Cruzeiro afirmam que a pressão da torcida pela contratação de um novo treinador pode fazer Gilvan mudar o foco e parar de esperar por Jorginho ou Ricardo Gomes, mesmo com a imprensa carioca dando como "bem provável" a vinda de Jorginho para a Toca da Raposa II após o Carioca, independentemente do resultado do Vasco.

No Vasco, ninguém cogita a saída de seu comandante.

No Botafogo, idem.

Marcelo Oliveira saiu do Cruzeiro pela porta dos fundos. Ninguém da diretoria esteve com o técnico em sua despedida e Gilvan teria que engolir o orgulho para contratá-lo novamente. Gilvan, quando da saída de Marcelo, teria confidenciado a pessoas próximas que não trabalharia novamente com Marcelo Oliveira.

E aí? Acredita que a chegada de Robinho tenha sido até uma indicação de Marcelo?

quarta-feira, 27 de abril de 2016

DEMORA QUE PREJUDICA REMENDO NO PLANEJAMENTO

POR: JOÃO VITOR VIANA

Quem assume o Cruzeiro? Não há, ainda, uma certeza. Jorginho é o preferido. Em publicação de hoje no site Superesportes, o vice-presidente do Cruzeiro, Francisco Lemos, confirmou que o clube poderá ter novidades em breve quanto a isso. Talvez até hoje. Contudo, oficialmente, o novo comandante do Cruzeiro será Geraldo Delamore até segunda ordem. Isso porque há um tempo ainda até a partida final dos torneios estaduais. 

E é justamente esse tempo que o Cruzeiro perde com planejamento. Sem um treinador definido, como montar um elenco para o Brasileiro?^Agora seria o momento ideal para trabalhar os atletas, definir esquema tático, fazer amistosos e contratar e dispensar atletas. Mas somente com a cúpula celeste trabalhando, tudo se perde. Ontem o clube anunciou uma boa troca envolvendo os laterais Fabrício e Fabiano. Acho que o Cruzeiro se deu bem nessa. E agora abre brecha para  a contratação de um lateral-esquerdo. Do jeito que está, complica. Lucas é boa sombra para Mayke. Mas quem joga na lateral? Sanchez Miño? Bruno Nazário improvisado? Acho melhor trazer um outro, né?

Minha maior dúvida quanto à esta troca de ontem é o posicionamento que Robinho terá no time celeste. Quem sai? Ariel? Alisson? Elber? Arrascaeta? Como atuaremos? 4-5-1? 4-3-1-2? 4-1-4-1? Robinho é jogador mais centralizado, mais velocista e não é criador de jogadas. Tanto que jogou muitas vezes de volante no Palmeiras. E aí?

Continuamos precisando de um camisa 9, que eu gostaria muito, fosse Marcelo Moreno, que em breve completará 29 anos e está insatisfeito na China. Mas também precisamos urgentemente da definição de quem será nosso técnico. Afinal, é necessário um planejamento, e certas definições no time. Quanto mais tempo demorarmos para anunciar o comandante, mais tempo perderemos com o remendo do planejamento, feito porcamente, desde dezembro de 2015.


segunda-feira, 25 de abril de 2016

EMPATE XOXO EM DIA DE DEMISSÃO DE DEIVID

POR: JOÃO VITOR VIANA

Jogo ruim, de poucas oportunidades. Mais chutes a gol, é verdade. Mas poucos que exigiram alguma coisa de João Ricardo. Nenhuma defesa difícil. E assim... fica difícil de ganhar. Chegou até a fazer um gol, que foi indevidamente anulado pelo bandeira.

Empate sem gols que acabou custando o emprego de Deivid. O treinador foi demitido ao final da partida, após reunião com a cúpula celeste, que já estava muito desagradada com o desempenho da Raposa.

Deivid sai de cena em dia de mais um futebol xoxo. Quem assume? Vários nomes em pauta. O Cruzeiro não comenta nenhum deles. Mas circula na Toca o nome de Jorginho, Marcelo Oliveira e Ricardo Gomes. Diante da pressa para consertar o planejamento porco feito desde o fim do ano passado, Abel Braga foi consultado. Mas diante de um impasse contratual, não pôde acertar. Abel ganhou o posto de preferido após a classificação de Vasco e Botafogo às finais do Rio de Janeiro. Com isso, Jorginho é preferido, seguido por Ricardo Gomes. Marcelo Oliveira é a terceira opção. Abel, em entrevista a um site esportivo, afirmou ser "uma pena" perder a chance de treinar uma equipe como  o Cruzeiro. Como atleta, Abel já defendeu as cores do Cruzeiro.

ASSUME O AUXILIAR
Geraldo Delamore assume o Cruzeiro até a chegada do novo comandante, podendo, inclusive, comandar o time já diante do Campinense. Os treinamentos até lá também serão geridos por ele.

ADILSON É CARTA FORA DO BARALHO COM GILVAN
Desde que disse "não" ao Cruzeiro em 2012, Adilson nunca mais foi cogitado para assumir novamente o clube que treinou entre 2008 e 2010.





domingo, 24 de abril de 2016

TIME VAI CAPENGA!

POR: RAPOSO SENSATO

Ontem eu escrevi que hoje seria o dia "D".

"D", de Deivid.

Para tirar o peso das costas ou sair do time.

Não há meio termo.

E Deivid já começou mal.

Blinda o lateral Kevin de um jogo importante.

Nem relacionado o menino foi.

Covarde! Cagão!

Nos grandes jogos se mostram os grandes jogadores.

Medo que a torcida faça com ele o que a do nosso rival fez com Uilson?

No Cruzeiro a gente protege a base, Deivid!

O time, hoje, vai capenga!

Não tem um lateral-direito de ofício!

Você não conhece a própria torcida?

Aliás, não deve conhecer mesmo.

Afinal, também não conhece nem a si mesmo.

Diz que tem qualidade.

Mas faz um trabalho deficiente.

Se agarra em números diante de jogos medíocres.

Números não falam por si.

Primeiro porque não são contra Corinthians, Flamengo, São Paulo, Grêmio.

São contra URT, Mamoré, Villa Nova, etc.

Daí para pior.

Não ganha nem de Campinense!

Deivid, ou caga ou sai da moita!

sábado, 23 de abril de 2016

DIA D PARA DEIVID

POR: RAPOSO SENSATO

Dia "D".

"D", de Deivid.

Certo que, ao final dos 90 minutos, alguma coisa será falada sobre o treinador.

Pressionado, fica se vencer, sai de não for à final do Mineiro.

A direção perdeu a paciência com o tipo de jogo que o Cruzeiro vem fazendo.

Para o presidente e demais diretores, o Cruzeiro pode e deve jogar mais.

Mesmo que falte uma ou outra peça, que será contratada, o desempenho está muito aquém do ideal.

O empate contra o fraco Campinense foi a gota d'água para os dirigentes.

A declaração de Deivid após o jogo piorou a situação.

Para o treinador, o Cruzeiro jogou bem.

Mas os dirigentes não viram o jogo assim.

Principalmente porque o Campinense jogou com reservas e nem na Série D está garantido esse ano.

Os dirigentes querem o Cruzeiro brigando por título brasileiro da Série A.

Assim como também querem ver o time jogando como time de elite.

Em palavras de diretores, "o Cruzeiro é time grande e deve jogar como tal".

Deivid, antes com prestígio, foi pressionado em reunião interna.

Foi exigido melhor futebol e dito que a "paciência esgotou".

Nessa pressão que o Cruzeiro entra, hoje, diante do América.

Tem que vencer por diferença de dois gols.

Se não conseguir, Devid sai.

E não tem essa de voltar a ser auxiliar.

sexta-feira, 22 de abril de 2016

PERRELLA X BRUNO VICINTIN: QUEM SERÁ O PRÓXIMO PRESIDENTE?

POR: JOÃO VITOR VIANA

O próximo presidente do Cruzeiro será Zezé Perrella ou Bruno Vicintin. Isso é algo já definido. Isso porque Gilvan não poderá ser mais presidente, pelo estatuto do clube e, por isso, já estaria fazendo seu sucessor. Erra quem acredita que Gilvan apoia a volta de Zezé. Em áudio vazada na Internet, Perrella afirma que está "cansado de política e com saudades do Cruzeiro". O ex-presidente disse ainda que sua candidatura para voltar ao posto de mandatário celeste não tem o apoio de Gilvan e o chamou, nas entrelinhas, de ingrato.

Nos bastidores do Cruzeiro, circula que Bruno Vicintin será candidato de Gilvan. Pela atual proximidade e empenho à frente do clube, Gilvan não vê porque não apoiar o atual vice-presidente de futebol. Sérgio Rodrigues, hoje superintendente, seria o vice na chapa. As eleições serão ainda no ano que vem.

"Penso ano que vem voltar sim. Pensando com muito carinho. Cansado de política e com saudades do Cruzeiro", disse Perrella no áudio. "O Mineirão é nosso. A situação do Mineirão é muito interessante para a gente. Temos um dos melhores estádios do Brasil. Não precisamos de estádio. Não é igual aquele galinheiro do Horto. Nunca me meti na gestão dele (Gilvan). Mas o mais incrível vocês não acreditam. Eu não sou o candidato dele. Vamos ter que enfrentá-lo. Mas isso é bem próprio dele". Essas foram algumas das frases que Zezé Perrella teria falado em um grupo de Whatsapp.

E aí? Quem você apoia?

quarta-feira, 20 de abril de 2016

NO DUELO DE RAPOSAS, POUCO A EXIGIR

POR: RAPOSO SENSATO

Pouco a se exigir.

Tão somente dois gols.

Não precisa de show.

Não precisa de 90% de posse de bola.

Não precisa de toque refinado.

Precisa-se, sim, de empenho.

Não é exigir demais o domínio e a vitória sobre uma equipe mista do Campinense.

Mesmo o jogo não sendo no Mineirão.

Eles priorizaram o campeonato local.

Respeito a eles, obviamente.

Mas o abismo histórico entre as equipes é gigantesco.

Mas mesmo assim, quero apenas dois gols... uma vantagem de dois gols.

No duelo de raposas, seria pedir demais?

terça-feira, 19 de abril de 2016

O FUTEBOL, COMO ELE É

POR: PROFESSOR CELESTINO

Há décadas "milito" no futebol e há décadas as situações são as mesmas. Grandes times formados, estes provindos de apostas (como o Grêmio de 1995, feito com refugos de outras equipes), como um time de máxima grandeza, como Palmeiras de 1993/94/95/96, construído a partir da parceria com a Parmalat. 

Assim como esses times, o Cruzeiro também já esteve nos dois polos. Recentemente, um time de apostas virou um time de muito valor. Em 2013 o Cruzeiro era uma aposta. Mas ganhou os campeonatos de forma tão brilhante que chegou em 2014 como franco favorito a tudo. Com os mesmos atletas praticamente, o Cruzeiro foi bicampeão brasileiro.

O método de 2013 voltou a ser repetido em 2016, depois de um 2015 de "pagar as contas". Gilvan e sua diretoria acharam que alavancando "atletas perdidos pelo mundo sul-americano", as vitórias voltariam. Não digo que não virão, mas falta muita coisa, principalmente um padrão tático.

Com Mano, certamente as coisas seriam diferentes. Os jogadores contratados não seriam os mesmos, viriam atletas mais tarimbados, além da forma de o time jogar tender a ser mantida. Aliás, Mano conseguiu, em pouco tempo, dar padrão de jogo a uma equipe capenga e remendada, mal gerenciada por Marcelo Oliveira e Vanderlei Luxemburgo. Com os mesmos atletas, o Cruzeiro teve aproveitamento de G4, não chegando aos primeiros colocados por detalhes. 

Mas todo o planejamento foi por terra quando Mano aceitou proposta indecente do mercado chinês. Sem poder competir e apostando na manutenção do método, o Cruzeiro efetivou Deivid, que a trancos e barrancos tentou implantar o próprio método. Deu errado. Quis ir com muita cede ao pote e teve que ser humilde e retomar o esquema tático de Mano. Mas a forma de o time jogar não está a mesma e, até por isso, foi batido pelo América, podendo ficar fora da final do capenga Campeonato Mineiro.

Revezes causam mudanças. É assim há décadas. E Deivid que se cuide! Dependendo do que ocorrer contra o fraco Campinense e no jogo de volta contra o Coelho, mudanças podem ocorrer. A torcida do Cruzeiro quer e exige melhor futebol, mais ofensividade, criatividade e finalizações. Ter posse de bola não é domínio de jogo. Domina o jogo quem vence. E o Cruzeiro precisa vencer para convencer.

segunda-feira, 18 de abril de 2016

MUDANDO O CHIP

POR: JOÃO VITOR VIANA

O Cruzeiro perdeu no fim de semana a vantagem que tinha. Aliás, logrou um complicado déficit após uma boa primeira fase. Contudo, no mata-mata, a situação inverteu e, agora, a equipe de Deivid precisa suar muito para sair classificada. Se não vencer por dois gols de diferença, no mínimo, o Cruzeiro deixa o Campeonato Mineiro de forma vexatória.

E até para fazer um teste antes da "final" do fim de semana, a Raposa terá o Campinense pela frente, nesta quarta-feira. Hora de mudar o chip! Na metodologia interna, vencer por dois gols de vantagem para evitar o jogo de volta. Coincidentemente, a mesma vantagem que precisa para vencer o América. Oportunidade para testar uma equipe ofensiva e que jogue para frente, criando jogadas e finalizando? Sim. Até porque isso faltou demais diante do América. O time esqueceu que se tratava de dois jogos, foi afoito, mal em tudo e permitiu, nos seus erros, a derrota. 

Chances de mudanças no Cruzeiro, principalmente no meio. Deivid deve testar, já em território nordestino, Elber em lugar de Arrascaeta. Ainda possibilidade para, em meio ao jogo, retirar-se um dos volantes e optando por um segundo atacante. 

A diferença é que dessa vez não haverá "treino secreto", uma das grandes falácias que criou-se no futebol e que, por fim, de nada adianta. 

domingo, 17 de abril de 2016

DERROTA REVERSÍVEL. MAS VAI NECESSITAR DE MUITO EMPENHO

POR: JOÃO VITOR VIANA

O Cruzeiro iniciou mal as semifinais do Campeonato Mineiro. Perdeu por 2 a 0 e, agora, precisa de, no mínimo, vencer pela mesma diferença de gols. Derrota por 1 a 0 põe o Coelho na final.

Jogo ruim, fraco tecnicamente e de poucos lances possíveis de gol. Pouco criativo, o Cruzeiro assustou bem pouco e acabou levando dois gols. O primeiro, após cobrança de escanteio e o segundo em contra-ataque. A defesa do time não se mostrou como costumeiramente é e o ataque foi inoperante.

A derrota é reversível por conta da vantagem adquirida na primeira fase. Se tivesse que fazer três, não sei se acreditaria. Mas para vencer no próximo fim de semana, o Cruzeiro vai ter que ser muito mais do que mostrou ontem. E pode escalar o Elber de cara, Deivid! Só com muito ataque, domínio do jogo e aproveitamento nas chances criadas conseguiremos ir à final. Senão, o cargo começa a balançar de novo.

sexta-feira, 15 de abril de 2016

COM OU SEM BRIGA, SOU MAIS MAYKE

POR: MARCÃO ANTI-FRANGA

Sou mais Mayke. Fã? Já fui. Hoje sou pé atrás. Mas acredito que ele ainda tem potencial para se recuperar, mesmo que grande parte dessa imprensa atleticana tente, TODOS OS DIAS, por na cabeça do torcedor idiotizado que Mayke ainda está com a cabeça na Europa e por isso não joga mais em alto nível.

Admiro a tentativa de Fabiano em ser jogador. Mas no Cruzeiro, querer não é poder. Prefiro apostar minhas fichas em quem eu sei que pode render, pois já rendeu, do que ficar insistindo com quem eu sei que não vai dar em nada. Nada contra a pessoa, mas contra o nível técnico de Fabiano. Não é jogador para o Cruzeiro.

Sou mais Mayke. Muito mais! Não acho Mayke um craque. Ele, que se desentendeu com Ariel Cabral em treino, logicamente reportado e amplamente divulgado por esse imprensa incompetente, é mais jogador. Precisa de uma sequência. Ainda mais visando um jogo importante, ao menos o mais importante até o momento: um jogo de semifinal. Não duvido nada que hoje ainda ouça, no rádio, alguém falando que Mayke é isso, é aquilo e tem que ser afastado por indisciplina. Imprensa falsa!

Vamos ver se ele rende novamente. Acredito nele. 

Abaixo, a lista de relacionados para a partida de amanhã, contra o América, às 16h20, no Independência. Cruzeirenses terão direito a 7 mil ingressos.


Confira a lista dos relacionados:


Goleiros: Fábio e Rafael
Laterais-direitos: Fabiano e Mayke
Zagueiros: Bruno Rodrigo, Bruno Viana e Léo
Lateral-esquerdo: Fabrício
Meio-campistas: Alex, Alisson, Allano, Ariel Cabral, De Arrascaeta, Elber, Federico Gino, Henrique, Lucas Romero, Marciel, Matías Pisano e Sánchez Miño
Atacantes: Willian, Douglas Coutinho e Rafael Silva


 Locais de venda


Postos de vendas e horários para torcedores do Cruzeiro:


- Ginásio do Barro Preto
Sexta: 10h às 18h




- Bilheteria Arena Independência (Rua Ismênia Tunes)
Sábado (16/04): 10h até os 15 minutos do 2º tempo da partida.

quinta-feira, 14 de abril de 2016

SEMANA SEM MUITA NOVIDADE. SÁBADO TEM!

POR: JOÃO VITOR VIANA

O Cruzeiro segue se preparando para a primeira partida da semifinal do Campeonato Mineiro, contra o América, sábado, às 16h20, no Independência. Dúvidas? Não. Mas Deivid não revela o que definiu. Nos bastidores a gente tenta arrancar algumas coisas, mas poucos dão dicas. A tendência é que mesmo em grande fase, Elber volte ao banco. Segundo informações, dependendo do resultado do primeiro jogo, ele entra como titular no Mineirão.

Os três volantes, assim, devem voltar. O esquema de Mano, que deu certo, volta a campo diante do Coelho. Henrique, Romero e Ariel. Alisson e Arrascaeta mais à frente, junto a Rafael Silva. Lá atrás, Fabio, Bruno Rodrigo, Leo e Sanchez Miño. Dúvida de última hora é Fabiano. Mayke está de sobreaviso e tem boas chances de iniciar o jogo. Pelas últimas atuações, mesmo contra equipes fracas, o jovem lateral voltou a demonstrar um bom rendimento. Se continuar, Fabiano, graças a Deus, sai do time.

Se nada mudar, se um avião não cair, se não passar um furacão na Toca, se não houver nenhuma lesão, contaminação por H1N1, H2N3, Zika ou qualquer coisa, a escalação não deverá fugir disso. Aliado à escalação daqueles que Deivid considera como "os melhores", a entrega em campo também fará a diferença no resultado da partida. 

Confio num placar favorável. Mas, diferentemente de um certo colunista de um grande jornal de Minas Gerais, que, ao que parece, classifica o futebol como ciência exata (falou que nosso rival VAI ganhar do Melgar por goleada, o que eu espero que não ocorra), vai depender muito dos próprios atletas. Se conseguirem se impor, vencem. Tecnicamente somos melhores. Mas o que ganha jogo nem sempre é isso. E sabemos que o futebol, dos esportes coletivos, é o mais improvável.